quinta-feira, 7 de agosto de 2008

A triste realidade de Brasília


Brasília é famosa pela sua beleza arquitetônica. Tombada como patrimônio cultural da humanidade, a cidade atrai milhares de pessoas de todas as partes do país para apreciar sua paisagem e seus monumentos únicos. Infelizmente, a verdade não é muito parecida com os cartões postais.

Vários dos principais monumentos e pontos turísticos da cidade estão mal cuidados, vítimas do descaso e do vandalismo. Os turistas que vêem conhecê-los se decepcionam com o péssimo estado de conservação e com a falta de informações. Não é esse o tratamento que Brasília merece!

Em alguns pontos da cidade, como no “balão” do aeroporto e no Eixo Monumental, há relógios digitais que marcam a contagem regressiva para o aniversário de 50 anos da capital, a ser realizado em 21 de abril de 2010. Entretanto, as atitudes do Governo do Distrito Federal (GDF) para com a cidade não condizem com sua atitude propagandística.

A foto acima mostra toda a beleza da capital federal, vista do mirante da Torre de TV. Mas ao olhar os monumentos de perto, percebe-se que essa beleza está bastante deteriorada. Em vários pontos turísticos importantes como a Praça dos Três Poderes, a Catedral, o Teatro Nacional e a Igrejinha, há falta de limpeza, de cuidados e de informações turísticas.

A Praça dos Três Poderes está totalmente largada às traças (ou melhor, aos pombos), suja, sem cuidados e sem nenhum tipo de informação turística. A Catedral está com mais de duzentos de seus vitrais quebrados, além de possuir infiltrações e outros graves problemas estruturais. O Teatro Nacional Cláudio Santoro está repleto de entulho, marcas de obras de reforma mal conduzida, além de estar com a fachada externa quase totalmente comprometida. A Igrejinha da entrequadra 307/308 Sul está bastante depredada, vítima de pichações e da falta de policiamento e de cuidados (impressiona o estado do painel feito com os azulejos de Athos Bulcão).

Todos estes monumentos têm algo incomum além da beleza: o terrível estado de conservação. Todos são vítimas do vandalismo, da falta de cuidados, da falta de policiamento e do descaso do governo. São necessárias reformas e reparos que dêem a estes monumentos a glória que eles merecem. Infelizmente este processo de revitalização enfrenta obstáculos monstruosos, como a excessiva burocracia da administração e a falta de interesse político por parte do GDF.

Se o atual governo pretende realmente ter uma cidade para apresentar em um cinqüentenário em 2010, é melhor deixar de lado as intrigas políticas e as barreiras burocráticas e começar a trabalhar agora! Como brasiliense nato, me sinto profundamente chateado pelo estado em que se encontra esta cidade. Espero que tanto o governo como a comunidade façam o que for necessário para manter a verdadeira beleza de Brasília, respeitando a memória daqueles que planejaram, construíram e fundaram esta cidade.

3 comentários:

Tamirez Paim disse...

Aqueles bombos estão descontrolados. Se fossem passarinhos, mas são pombos e , geralmente, ou quase sempre, vivem em locais abadonados pelo descaso. A cidade está lá, aberta para visitação, mas , realmente, não existe um projeto da cidade, público, de passeios, só vi empresas , super-caras, organizando "city tours". Em Porto Alegre, a Prefeitura , junto com a Secretaria de Turísmo e Meio Ambiente, organiza "city tours" pela cidade a um preço reduzido de mais ou menos 10 reais, num ônibus super bacana e com guia. Realmente, eu esperava um pouco mais dos pontos turísticos, Brasília precisa rever isso para os seus 50 anos.

Muito bem Gustavo. Tua reflexão foi super pontual e bem lembrada. Parabéns.

Tamirez Paim disse...

"Da discussão nasce a luz" Aristóteles

Muito tri , Gustavo!!!!!!!
Acho genial jovens como a gente pensar o futuro, questionar o presente e investigar o passado.

Ótimo, genial!

Mariane disse...

Tem razão. O descuido é notável na falta de conservação e outros, problemas comuns de muitas outras cidades brasileiras. Não morei em muitas outras cidades. Mas penso que mais visível que os edifícios velhos e o concreto escurecido é o descaso com as pessoas, como aquelas da rodoviária, os meninos de ruas em todos os cantos, além dos arredores periféricos de brasília (cidades satélites) pouco visitados pelos moradores do plano. É muito triste! Mais triste é o fato de que estou me acostumando com isso.

Mariane S. Brito