sábado, 4 de outubro de 2008

A crise fiscal do capitalismo - Uma segunda opinião

Entrevista do professor Carlos Pio, do Instituto de Relações Internacionais da Universidade de Brasília (IREL/UnB), à UnB Agência sobre a atual crise financeira:
http://www.secom.unb.br/entrevistas/entrevista.php?id=49

É sempre bom ouvir a opinião de pessoas entendidas do assunto, como o professor Pio, sem dúvida um grande especialista em economia política internacional. Entretanto, informações técnicas bastante construtivas à parte, ainda há a presença de forte ideologia liberal em seu discurso.

"Não dá para questionar o liberalismo por uma crise como essa, porque não há alternativa melhor para gerar riqueza e incluir gente."

Com todo o respeito à posição política do professor Pio, sou obrigado a discordar veementemente de sua afirmação acima. Não há provas empíricas que comprovem essa boa ação do sistema neoliberal. Embora o sistema neoliberal seja capaz de gerar grandes riquezas, ainda é incapaz de distribuir tal riqueza de maneira adequada. Como explicar que na Rússia, um dos países que mais abriu sua economia após o fim da URSS, várias pessoas vivem em condição econômica muito pior que nos tempos do regime socialista?

Talvez esta crise em específico não seja a gota d'água, mas sua simples eclosão mostra o quão voláteis são as bases da ideologia neoliberal e o quanto o sistema desenvolvido por seus seguidores é inseguro e capaz de (literalmente) evaporar grandes riquezas e afundar países inteiros em grandes crises. O neoliberalismo provavelmente sobreviverá a esse baque, mas não restam dúvidas de que sua estrutura caduca se encontra em fase terminal.


Um comentário:

nós disse...

ele não falou "neoliberalismo", e sim "liberalismo".